rina pri

Páscoa

::: Eu não tenho memória, de tão ruim que a minha é. hoho. Mas páscoa, assim como natal, sempre foi sinônimo de família reunida – ou então, na páscoa, de retiro da igreja :D. Realmente não lembro de uma páscoa em que tenha passado longe dos meus pais (irmãos casados não contam), ao menos não todos os dias – tirando os retiros, que não são frequentes. Mas esse ano foi assim, e foi muito diferente, mas mas não menos bom. Talvez por toda a situação que tenho vivido, as mudanças em mim e ao meu redor, pelo fato de meus pais já não terem mais tanta preocupação comigo (já sou mocinha, né? haha). Mas essa páscoa eu passei “sozinha” e “em casa”. Assim mesmo, tudo entre aspas. Porque sozinha eu não fiquei, só mesmo para dormir. E em casa, também foi o último lugar onde estive :P. Sexta fui ao shopping, pagar C&A, passear (gastar) na Renner e comprar um ovo de páscoa pra Adelise, a pedido do Aristides. À noite parte da Confraria se reuniu, noite de conversas bobas e sérias, de se conhecer melhor e descobrir que a gente ainda tem muuuuito o que aprender umas com as outras e umas das outras. Sábado fui a um casamento sem conhecer a noiva ou o noivo. Adelise ia tocar, convidou a mim e a Larissa para irmos. Uma amiga dela da Vale. Eu acabei aceitando ser “cerimonialista” e organizei as entradas do cortejo. Viagenzinha pra Aracruz, que não fica muito distante de Vitória. Fomos à tarde, nos arrumamos na casa da vó de Lalá e depois fomos pro casório. Casamento na roça mesmo, diga-se de passagem. Com direito a mesa de compotas/doces caseiros, churrasco como jantar (servindo direto no espeto!) e um DJ que tocou músicas esquisitas (algumas boas, outras não mesmo). Preconceito? É sim. Sou chata com festa, reparo tudo mesmo e tenho meus (pré)conceitos, principalmente em eventos formais. Mas foi legal, nos divertimos (um pouco às custas de Larissa, é verdade), dançamos um bocadinho e voltamos pra casa. E hoje o meu almoço de páscoa só não foi solitário porque já tinha combinado de almoçar com Ade. E eu fui apenas para fazer companhia a ela, porque minha vontade mesmo era de ter ficado em casa. Fomos ao Balacobaco e de lá vim direto pra casa. Daqui a pouco meus pais chegam, meu irmão Luiz e a cunhada Flávia também (viajaram juntos) e vai ser bom ter gente em casa. Mas foi muito bom esses dias para mim. Realmente estava precisando. E se você terminou de ler esse post gigante, parabéns! rsss. Poucas fotinhas do feriado, aqui.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s